segunda-feira, 22 de agosto de 2016

A DIGNIDADE DO SER HUMANO



O ser humano é marcado pela graça de Deus, e criado por Deus para viver a comunhão com o próprio Deus, com os outros seres humanos e com toda a obra da criação, mas nem sempre vive conforme essa sua dignidade original.

A nossa dignidade está em ter sido criado a imagem e semelhança de Deus. É uma criatura de decisão e de respostas, chamado ao amor e a comunhão. Esse é o caminho de todo ser humano.

O pecado (no grego hamartia – desvio) é a negação a esse chamado original, fruto da desobediência e da impiedade do ser humano.

O ser humano não é tão mal quanto Deus é bom, ele é inclinado ao erro, ao mal. Mas, à nele, a aspiração a verdade e o bem. Por isso o ser humano só se torna plenamente humano quando se deixa ser plenamente relacional, em todas as dimensões dessa relacionalidade:

- A imanente, orientação para si mesmo;
- A transcendente, abertura para Deus, o outro e o mundo.

É na relacionalidade que decorre a dignidade original do ser humano, a sua vocação. E nesta, contemplam-se todas as dimensões constitutivas do ser humano, ou seja, da sua relacionalidade.

Em Cristo, o homem é transformado, cheio da graça do Espírito Santo, com um dinamismo novo, cheio de amor que o leva a buscar uma nova relação mais profunda com Deus, com os homens e com as coisas.

O amor, a lei fundamental da perfeição humana, como também do mundo, não deve ser somente mandamento, mas também o dinamismo que deve mover os cristãos. Tem como fundamento a “verdade” e como sinal a liberdade.

O ser humano autêntico, pressupõe a plena relacionalidade à qual somos chamados na origem, e que em Cristo, o Deus humanado, tem sua imagem perfeita.

“O homem é um nó de pulsões e relações, que o homem concreto é um nó de relações voltado para todas as direções, até para o infinito”. (L. Boff).

Pessoa – como existência incomunicável de uma natureza intelectual. Um ser de existência, isto é, de existir a partir de outro e na relação com ele. Também, substância individual de natureza racional. A pessoa é independente, única e irrepetível, e não se fecha em si mesma, mas é aberta a realidade toda, ao horizonte ilimitado do ser.

É na caminhada que conta que o ser humano é chamado a ser relacional.

Nenhum comentário: